ESTUDANDO A PALAVRA

ESTUDANDO A PALAVRA

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

CALVINISMO - UM SISTEMA BÍBLICO


Tenho perbebido que dentro da estrutura atual do pensamento evangélico tem faltado aquele vigor, firme e sério no que respeita a fé em Cristo Jesus. É duro perceber que a Igreja não está preparada para responder os questionamentos da sociedade atual. Qual a razão disso tudo? A resposta é simples - nos desviamos do Calvinismo! Este sistema integra a vida do homem como um todo, o homem é visto integralmente, não há distinções ou dicotomias no sistema calvinista.

Perbi isso logo de imediato quando observei qua a perspctiva TEONÔMICA é a única postura que pode responder a sociedade, e esta cosmovisão é encontrada no Calvinismo. O Calvinismo responde as questões mais gritantes que enfrentamos em nossos dias. Um exemplo claro disso diz respeito ao matrimônio. Vivemos tempos em que o casamento é visto como algo danoso, prejudicial ao desenvolvimento profissional e a realização pessoal do homem ou da mulher; e assim, temos uma visão de que o casamento não presta. As novelas da atualidade ensinam esta perspectiva, todavia o final feliz de cada novela é UM CASAMENTO! Então o casamento não é o que se tenciona argumentar, ele é bom! Mas por que é bom? Será porque a sociedade diz que é? Ou será que é bom por que a igreja o diz que é assim? A resposta está em Deus "não é bom que o homem viva só" - este é o padrão! O Calvinismo resgata este padrão, pois, é Deus centro de toda moralidade humana, e assim, o centro da vida e o ponto de referência sumpremo. Mas, apenas o Calvinismo consegue dizer, pregar e práticar esta autêntica cosmo visão.

Um comentário:

Gunnar Vingren Lima Ferreira disse...

Grande mestre concordo com cada palavra tua. Com o esquecimento da doutrina bíblica(Calvinismo) o púlpito da igreja foi encoberto por heresias várias.O mundo ao esquecer do calvinismo ficou vítima dos homens ímpios que não possuim o coração segundo Deus.Que possa Deus erguer reformados para fazer surgir novamente o brado da Reforma no século 16.