ESTUDANDO A PALAVRA

ESTUDANDO A PALAVRA

sábado, 31 de outubro de 2009

ESTUDOS NA CONFISSÃO DE FÉ DE WESTMINSTER.

CAPÍTULO 21 – DO CULTO E DO DIA DO SENHOR.
Prof. João Ricardo Ferreira de França.
Contatos: jrcalvino9@hotmail.com
Seções 7 e 8: “Como faz parte da lei da natureza que, em geral, uma devida proporção de tempo seja separada para o culto divino, assim também, em sua Palavra, mediante uma ordenança positiva. Moral e perene, obrigando a todos os homens, em todas as épocas, Deus particularmente designou um dia em sete para um sábado, que lhe seja santificado; o qual, desde o princípio do mundo até a ressurreição de Cristo,foi o último dia da semana; e desde a ressurreição de Cristo, foi substituído pelo primeiro dia da semana, e que na Escritura se chama dia do Senhor, e deverá continuar até o fim do mundo como Sábado Cristão. Este Sábado é, pois, santificado ao senhor quando os homens, tendo devidamente preparado seus corações, e de antemão ordenado seus afazeres comuns, não só observam, todos os dias, um santo repouso de suas próprias obras, palavras e pensamentos acerca de seus empreendimentos e recreações seculares, mas também ocupam todo o tempo nos exercícios públicos e particulares de seu culto, bem como nos deveres de necessidade e misericórdia.”

Ensino Claro destas seções:

A necessidade do culto a Deus é uma necessidade imperativa.
A guarda de um dia específico é ordenado de maneira positiva, moral e perene por Deus.
a) Este dia no Antigo Testamento é chamado de Sábado
b) Este dia foi substituído no NT pelo primeiro dia da Semana.
3. Como este dia deve ser observado

a) Na preparação do coração e do afazeres comum
b)Um repouso solene de:
1. nossos empreendimentos (empregos)
2. Lazer.
c) observando os preceitos comuns da religião.
1. Dever para com o culto solene.
2. Dever no exercícios de piedade cristã.
Introdução: No nosso último estudo discorremos sobre o local do culto. Hoje vamos trabalhar a questão da temporalidade do culto. Qual é o tempo propício ou estabelecido pela Palavra de Deus para a adoração pública?

I - A NECESSIDADE DO CULTO A DEUS É UMA NECESSIDADE IMPERATIVA.

A nossa confissão reconhece que existe uma lei na natureza que nos motiva a adoração a Deus. Todavia, embora a criação nos diga que Deus deve ser adorado, ela tem sido adorada acima do criador.
A criação reclama o louvor a Deus. Este louvor é manifestado a todos os homens, esta concepção nos apresenta as seguintes verdades.
1. Que tudo o que fora criado visa proclamar a glória de Deus (Salmos.19.1-4)
2. Que a imagem de Deus está esculpida na criatura moral (Rm.2.14-15).
3. Que a criação mostra-nos a divindade (Romanos.1.19-20).
Estes são elementos suficientes para mostrar a necessidade do culto da adoração de Deus.
II - A GUARDA DE UM DIA ESPECÍFICO É ORDENADO DE MANEIRA POSITIVA, MORAL E PERENE POR DEUS.

A CFW apresenta três termos importantes para a compreensão da temporalidade litúrgica: “Ordenança positiva, moral e perene”. Estes termos descrevem as características do quarto mandamento. O termo positiva indica aquele mandado de Deus que não é moralmente necessário. Isto diz respeito ao dia sétimo; ou seja, o tempo era um mandamento positivo, por isso, transitório. È positivo Deus ter escolhido, no AT, o sétimo dia, pois, ele poderia ter escolhido dar outro dia, mas quis aquele.
O termo moral indica que este mandamento obriga ao homem lembrar de que Deus descansou e destinou um dia de descanso. Isto porque reflete a natureza moral de Deus. E o termo perene indica que deve ser visto, em seu princípio moral, como permanente. Somente sob estes três aspectos se pode entender adequadamente a doutrina do shabbath. Isto nos leva para as seguintes implicações:
a) Este dia no Antigo Testamento é chamado de Sábado: A CFW nos ensina que no período veterotestamentário este dia era o sétimo da semana (conhecido sob o nome de Sábado). Ele era um mandamento positivo-moral de implicações perenes.(Is.56.2,4,6,7)
b) Este dia foi substituído no NT pelo primeiro dia da Semana: A CFW nos apresenta que este mandamento por ser positivo-moral foi substituído o dia onde o mandamento originalmente fora aplicado – Sábado – para o primeiro dia da semana (Atos.20.7; 1Co.16.2; Ap.1.10). O que dá significado a esta mudança?
1. A recriação trazida por Cristo (2 Co.5.17)
2. A libertação de nossos pecados (Rm.5.8; 2 Co.5.18-19; Ef.1.4-7; Cl.1.13)

III - COMO ESTE DIA DEVE SER OBSERVADO

A doutrina presbiteriana não é apenas profundamente teológica, mas antes é eminentemente prática. A preocupação dos puritanos ao escrever a nossa CFW era mostrar a implicação prática destes ensinos sistematizados. A pergunta é: como observar este dia?

a) Na preparação do coração e do afazeres comum: Começa-se na preparação do nosso coração na noite anterior, pois, é ali onde a batalha será vencida. E ordenar todos os afazeres de modo que eles não impeçam o culto (Ex. 16.23,25,26,29,30).

b)Um repouso solene de:

1. nossos empreendimentos (empregos)
A CFW nos ensina que todos os nossos empreendimentos devem vislumbrar um santo repouso; (Ne.13.15-19,21,22).
2. Lazer.
Nós como presbiterianos não devemos nos ocupar com os nossos lazeres comuns de outros dias no dia do Senhor conforme nos ensina a Palavra de Deus (Is.58.13).

c) observando os preceitos comuns da religião.

1. Dever para com o culto solene: Na guarda deste mandamento há uma necessidade preeminente de se observar o dia do Senhor ( Ex.20.8-11; Is.58.13)
2. Dever no exercícios de piedade cristã: O ensino confessional de nossa Igreja reflete a compreensão é que nada pode ser dito ou realizado, no contexto do dia do Senhor, de modo a negligenciar a prática misericórdia conforme nós vemos em Mateus 12.1-13.

2 comentários:

Rev.Ronaldo P. Mendes disse...

Amado irmão, graça e paz! Gostei muito do seu blog e parabéns pela postagem. Gostaria de convidá-lo a conhecer o SOLUS CHRISTUS, será um prazer ver o irmão por lá.

Deus abençoe!

Miguel Silva disse...

eleito do senho meus parabens pelo seu comentario entre no meu blog, (a pena afiada)