ESTUDANDO A PALAVRA

ESTUDANDO A PALAVRA

domingo, 15 de julho de 2012

A IGREJA DE DEUS


 A IGREJA DE DEUS

Paulo, chamado pela vontade de Deus para ser apóstolo de Jesus Cristo, e o irmão Sóstenes, à igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus, chamados para ser santos, com todos os que em todo lugar invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso: graça a vós outros e paz, da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo. ”(1 Co.1.1-3)
   Este texto é breve, mas pertinente para a nossa vida como cristãos; aqui de forma clara temos Paulo, o apóstolo, nos lembrando que a vocação pastoral dele não se dá por sua instrução, por sua capacidade ou algo de bom que ele tenha, mas ele é chamado [klhto.j - kletos] para esta função “pela vontade de Deus”. O vocábulo “vontade” [qelh,matoj - thelematos] descreve no grego a ideia de “desejo ou de querer intencional”, em outras palavras o apóstolo Paulo era de fato um apóstolo para aquela igreja porque Deus assim queria.
    Paulo era “apóstolo de Jesus Cristo” -  o substantivo “apóstolo” [avpo,stoloj], no grego, descreve a ideia de um mensageiro; na verdade este é o significado deste termo; Paulo, diz que ele é um mensageiro de Cristo, a implicação disto é que a mensagem não era dele, mas do Cristo ressuscitado! O apóstolo Paulo se nomeia na carta juntamente com o seu irmão Sóstenes.
     Nos chama a atenção o nosso texto porque Paulo dirige-se a uma igreja específica e a qualifica de modo interessante: à igreja de Deus na língua grega  temos a expressão (tê ekkesia tou Thou) -th/| evkklhsi,a| tou/ qeou/ - Paulo chama aquela igreja de Igreja de Deus - ou seja, pertencente a ele, gerada por ele, vinda à existência pela vontade dele -; e por que isso nos surpreende? Porque era uma igreja muito problemática, nela encontramos problemas de divisão (cap.3); era cheia caluniadores (cap.4); toleravam imoralidades terríveis (cap.5); havia crente processando outro crente (cap.6.1-11); tinha membros que se relacionavam com prostitutas (cap.6.12-20) etc... Mas, a despeito de tudo isso Paulo chama aquela igreja de Igreja de Deus! Uma grande lição para nós, precisamos olhar para a igreja como sendo uma obra da Graça de Deus a despeito de seus pecados. Os crentes desta igreja são qualificados como sendo pessoas que estão sendo “santificados” não em suas obras, mas em “Cristo Jesus”, mostrando-os que o chamado deles é para uma vida de santidade juntamente com “todos o que em todo lugar invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo”. Paulo relembra a doutrina do senhorio de Cristo e assim, exorta aquela igreja à prática da santidade de vida. Encerrando o texto com os desejos mais ternos. Valendo-se da dupla saudação “graça e paz” - Graça dos gregos e paz dos judeus, mostrando que o alvo de sua carta é que os crentes vivam unidos na igreja de Deus.

Rev. João Ricardo Ferreira de França

3 comentários:

António Jesus Batalha disse...

Meus amigos irmãos, passei pela net visitando vários blogs, e passei pelo seu lindo e excelente blog, não li muito mas o suficiente para ver que pelas suas palavras aqui expressas, é um ser que ama o mesmo Deus, e que deseja servi-lo e honra-lo, e isso para mim é mais que motivo de alegria. Quero deixar-lhe um convite: Mas faça-o só se desejar, se não estiver interessado pode deletar meu comentário que não fico chateado. Se deseja fazer parte do blog. O Peregrino e servo. Decerto que irei seguir também seu blog, não sou das pessoas que dizem que vão seguir e depois não seguem. Também peço desculpa se por acaso deixar mais do que um comentário. Obrigado pela atenção.
Antonio Batalha.

Rev.João Ricardo Ferreira de França disse...

Olá, Antônio obrigado pela sua participação aqui. Estou acompanho o seu blog pelo e-mail. Grande abraço!

Noemi disse...

VISITANDOLES NUEVAMENTE DESDE EL SALVADOR CENTROAMERICA, DESDE MI BLOG www.creeenjesusyserassalvo.blogspot.com
RECIBAN MUCHISIMAS BENDICIONES